domingo, 29 de abril de 2012

Simples Assim



Alguns dias te fazem sentir especial
Alguns momentos, as vezes nem tão raros,
Te relembram das coisas mais simples
Que em verdade, são as mais eficazes.

Alguns dias entram para a historia
Preenchendo corpo, alma e mente
Te conduzindo através da ternura 
A um sorriso estampado de felicidade.

São esses momentos que te fazem ver
E até repensar velhos conceitos usados,
Reviver. Te transformar.

Simples assim; Um único dia, 
Apenas um sorriso, é suficiente 
para te fazer feliz; Simples assim.


Thiago Grijó Silva


Que a tristeza minha companheira me perdoe, mas dedico este soneto a alegria.

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Um Pedaço De Mim



É um pedaço
Da minha existência
Partindo,
De encontro ao astro
Sumindo.
É um pedaço
Do meu mundo
Partindo,
Fugindo, pra tão longe
Que nunca verei novamente

a ternura de caricias trocadas
Os beijos escritos numa carta
Assinado: Adeus.

É um pedaço do céu
Que esta morrendo.
E enquanto isso
vou descrevendo,
Lagrimas pelo
Meu rosto correndo
Os pensamentos dizendo
seu nome pra mim.
E o destino se pondo.
É um pedaço de mim,
De mim...


Thiago Grijó Silva 

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Taís



Nosso tempo se foi
E você nem me disse adeus.
Apenas seguiu
Não me olhou, nem sorriu...

Nosso desejo se foi?
E você nem me disse “oi”.
Apenas seguiu
Não me olhou, nem sorriu...

Não viu, a lança de prata
Que perfura meus olhos...
São lagrimas.

Nem sentiu, o espinho
Que me fere a alma...
Tua falta.


Thiago Grijó Silva

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Nada



 
Eu sei que estou jogando
Palavras ao nada
E que em qualquer estrada,
A minha espera, esta a tristeza.

E eu sei que estou jogando
Areia contra o vento
E que qualquer destino
Recairá em mim como um tormento.

Por isso já nem tento
Mais, ser feliz
Enquanto jogo palavras

ao vazio que me ronda
Dia e noite, triste fim.
Qualquer alegria é muito boa pra mim


Thiago Grijó Silva

domingo, 22 de abril de 2012

Alvorecer



Sangue sob meu céu
Pairando acima de mim
Esta, a me perturbar,
O silêncio
Que me ensurdece os sentidos.

À noite em claro,
Um alvorecer escuro.
Privado, estou,
De desejos
E meus devaneios
Não podem me levar
Ao alcance dos meus sonhos.

Pairando acima de mim
Esta, a me consolar,
A tristeza
Que enaltece o que sou.

Há sangue sobre meus dedos
Sem sombra no espelho
Meu corpo exala o medo
Que me imobiliza
Privado, estou, de fantasia
E minha vontade
Não pode me deixar
Alem do alcance das minhas mentiras.


Thiago Grijó Silva

terça-feira, 17 de abril de 2012

Cachoeira


Eu soube de um dia em que você fugia pra longe
Alguém lhe deu a mão, oferecendo sua ajuda ele ganhou seu coração.
Percorri mundos e mundos para lhe achar
Nunca desisti de te encontrar
E por muito tempo persegui meu amor
Mas meu coração se despedaçou
Quando nos braços de outro te encontrou
Uma lagrima triste correu por meu rosto
E teu olhar de piedade
Me deu vontade de morrer
Fugi para as colinas a procura de solidão
E lavado pela loucura suja e imunda do meu coração doentio
Me levei a um precipício, de onde saltei
Dando com a cabeça nas pedras, morri.
E meu corpo levado pelas águas alcançou seus pés
E tu mesma me enterras-te, como faria a um irmão.
Foi quando me convenci
Que embora não soubesse
Eu já fazia parte do teu coração...


Thiago Grijó Silva

domingo, 8 de abril de 2012

Para Sempre...


Uma árvore é uma árvore sempre.
Eu queria ser uma árvore diferente...


Ser a cor do céu que eu não vejo
E o vento que sopra nos montes
Que permeiam a paisagem que
eu não vislumbro de minha casa.


Ser o sol de cada dia, a fantasia
E a alegria que eu tanto invejo
se minha fosse, por um dia,
faria-a durar por toda a vida.


Ser o mel que adoça a boca
de quem beija e o coração
Que sonha, ser do peito
esta vontade eu queria.


Mas uma árvore é uma árvore sempre.
Como eu queria ser uma árvore diferente...

Thiago Grijó Silva

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Fardo




Canta a dor, é mais um dia
Canta e chora este verso
Repetindo as notas
Da melodia.


Canta só, é outro dia
Canta e mata este sonho
Guarda no amago
Uma pétala.


Percorre o presente no ontem,
E vive o manhã no passado,
Desejando do futuro um agrado.


Vive sonhando acordado,
Canta e chora este fardo,
Consumindo seu coração de lagrimas.


Thiago Grijó Silva

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Uma Prece



Alegria já não me diz nada
Me contento com as magoas
Que deixam para mim
E a tristeza, velha de estrada
Sem eu ver, já se instá-la.

No decorrer da minha jornada
Perdido por essas estradas
Onde jaz enterrada
As cinzas da alegria
Vou respirando tristeza
Amargurando esse conflito
Esperando ser visto
Por quem passe por aqui.

E no descambar dessa agonia
Vou vivendo sem alegria
De mãos dadas com o sofrer
Rezando a Deus, para que um dia
Cicatrize-se essa ferida
Pro meu coração voltar a bater
Fazendo a alegria, das cinzas, renascer!


Thiago Grijó Silva

terça-feira, 3 de abril de 2012

Inconstância

Já perdi a conta das vezes
Que disse não me importar.
Mas importava sempre, e a
Esperança continuava a voltar.

Jurei mil vezes não me apegar
E já me vejo de mãos dadas
Com um estranho a passear
Dependente de amar.

A mim disse “Tão cedo não vou amar”
No que viro a esquina me desconcerto
Num olhar que de certo me encanta.

E nesse encanto eu vôo cantando meus versos
Gritando para quem estiver perto: “Na boa,
ser inconstante é uma merda!”


Thiago Grijó Silva

Baseado na Postagem de uma amiga.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Jazia a Piada

 
Me parecia que era graça
Que de longe faziam piadas
Jazia nelas o triste decoro
dos meus encantos infantis.

Me parecia que era um não
Quando vinhas pensava voltar
Jazia na mente o objetivo certo
De não querer me falar.

E fazia do ar uma graça
Que de longe aos poucos
Desgastava essa piada

Que não pareceu engraçada
Quando no riso jazia
a vontade de fazer piada.





Thiago Grijó Silva